A Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural, do Ministério da Cultura, divulgou no Diário Oficial da União desta terça-feira (28), a homologação do resultado final do Prêmio Culturas Populares 2017 - Edição Leandro Gomes de Barros. Entre os premiados está Ana Martins da Costa, conhecida como Dona Nanete (foto acima). Esse é um reconhecimento ao trabalho de preservação da cultura popular, realizado por Dona Nanete desde quando chegou a Fernando de Noronha, em 1950.  Entre tantos outros trabalhos, ela é responsável pela Paixão de Cristo da ilha. É a primeira vez que um representante de Noronha conquista o prêmio.

 Foram premiados 200 projetos de reconhecimento a Mestres da Cultura popular, entre eles, Dona Nanete que obteve 98,5 de nota na fase final. Os 200 primeiros classificados na categoria Mestres e Mestras serão premiados com 10 mil reais cada. Outros projetos foram reconhecidos nas categorias Grupos/Comunidades; Instituições privadas sem fins lucrativos e Mestres In Memoriam pelo trabalho realizado por mestres já falecidos, a exemplo de Dona Selma do Cocô (Selma Ferreira da Silva), que teve a inscrição feita pela neta Yorrana da Silva Ferreira. Hoje obra de Dona Selma está sendo preservada pelos filhos e netas, responsáveis pela preservação e divulgação do patrimônio deixado pela avó em Olinda.

 Na fase anterior foram classificados 851 projetos de reconhecimento a Mestres da Cultura popular; já a fase de habilitação não foi diferente; foram habilitados 1034 mestres, 760 grupos sem CNPJ, 331 entidades e 36 mestres em Memorian. Representantes de todos os 26 estados e da unidade federativa do Distrito Federal se inscreveram no Prêmio. Os estados com mais inscritos foram: Pernambuco (301), Minas Gerais (286), Bahia (283), São Paulo (282), Rio de Janeiro (240), e Maranhão (150), levando a região a se destacar na cultura popular do país mais uma vez.

 O Prêmio Culturas Populares foi instituído pelo Ministério da Cultura no ano de 2007, como forma de reconhecer e fortalecer a atuação exemplar de Mestres, Grupos e Comunidades praticantes de expressões da cultura popular do País. O prêmio abrange um leque de expressões da cultura brasileira, que vão desde práticas religiosas, rituais e festas populares, mitos, narrativas orais, medicina popular, alimentação e culinária, grafismos, danças e outros. 

“A premiação de Dona Nanete é muito significativa pelo trabalho que faz na ilha; Noronha é um patrimônio cultural sim, e ecológico e turístico. E isso só reforça a a cultura e principalmente a cultura popular que existe na ilha através do legado construído por Dona Nanete, nas escolas e montagens na dança, na música, nas artes e no teatro. Ela é merecedora desse prêmio”, afirmou a representante do Ministério da Cultura no Nordeste, Maria do Céu.